Cursos Belo Horizonte: e-mail para helenacompagno@hotmail.com ou acesse na janelinha à direita

20 de março de 2017

Páscoa

A Páscoa, tanto quanto o Natal, pede uma mesa arrumada, enfeites pela casa, presentinhos para os pequenos... 

Ando inventando moda aqui no ateliê com as alunas. Tudo o que faço para a minha casa faço com elas. Vamos ver algumas coisinhas?















   
 

 
 





8 de março de 2017

Aulas aos sábados

Por tempo determinado ofereci aulas aos sábados no esquema "aulas avulsas" nesse início de ano. A procura foi grande - uma porque muitas trabalham durante a semana em tempo integral e outras porque não queriam se comprometer com o curso mensal, com receio de ter que desistir na segunda aula, caso não gostasse de costurar.

 Algumas dessas pessoas que vêm aos sábados já sabiam costurar e queriam apenas uma ou outra aula específica de alguma coisa que viu no blog e gostou, que tentou fazer e não conseguiu. Outras que frequentaram outros cursos, mas em turmas grandes - a maioria dessas pessoas relata que em turmas grandes o aproveitamento é pouco. Há quem goste de aulas em turmas para se interagir mais com mais pessoas. Se esse é o seu caso, ofereço, com certa frequência, oficinas em turmas - geralmente às sextas-feiras ou aos sábados. Mas aqui o foco é mesmo individualizado, personalizado, onde sento junto e conto os segredos da costura.

Nossa, tudo isso para falar que... Bah!!! a lista de espera por essas aulas cresce a cada dia. E o mais legal, o tri-legal, como dizem os gaúchos, disso tudo é que muitas dessas pessoas que vieram aqui ter apenas uma aula, gostaram tanto que resolveram fazer o curso mensal, vindo toda semana. E eu ganhei uma aluna cativa que se torna amiga com o passar do tempo. 

O resultado disso é ter amigas com interesses iguais, onde vamos juntando nossos panos, amarrando nossos laços. Muitas delas se tornam amigas, como nesse grupo que nasceu das aulas individuais, mas eu fui apresentando uma para as outras nos cafés que promovo aqui no ateliê. Eu adoro esse relacionamento, onde interagimos, ensinamos e aprendemos umas com as outras. 
Até logo mais com novas informações

4 de março de 2017

Nem loira, nem castanha

Quem sempre teve os cabelos castanhos - mais para loiro- quando os fios brancos se tornam a maioria, é aquele problema. Se mudo para o loiro total, perco um pouco a minha identidade. Se mudo para o castanho completamente fica aquela coisa esquisita: a idade do rosto não combina com a cor do cabelo. Sabe aquele negócio de homem mais velho que pinta o cabelo de escuro? 

Mecha neles!
Mas daí é um trabalhão:  cobre os cabelos brancos com um tom mais escuro, puxa as mechas mais claras.

Mas, por favor, puxe só uns fiozinhos - foi o que disse à cabeleireira. Não foi isso que aconteceu: muitos fios claros e muito longe da raiz, embora a moça queria me convencer que mechas se faz assim mesmo, longe da raiz. 

Sabe quando você prova uma roupa que ficou ridícula e a vendedora diz "nossa, ficou ótimo?" Se é assim que usa, que está "na moda". Não, muito obrigada, prefiro estar fora da moda ou então devolvam meus cabelos brancos.

Se eu não gosto de alguma coisa, se fico na dúvida se está feio ou não, minhas juízas são as filhas. Sim, às vezes acho que são até meio cruéis. Mas são sinceras: "nossa mãe, que cabelo ridículo!"
Deixa que eu mesma cuido disso!
Comprei a  coloração 7.1 da Wella que uso para retocar as raízes, misturei a tinta, pincelei no pente de dentes largos e dei uma leve penteada onde havia  mais platinado.
Deu nisso! Ah tá, eu não nasci assim. Os cabelos da minha juventude não eram assim. Mas é assim que sou, beirando os 60 anos: nem loira, nem castanha.

23 de fevereiro de 2017

Enxoval para a cama

A roupa da casa é um reflexo da personalidade do dono.

Sou prática, gosto de tudo bem arrumado e limpo, mas sem stress. Por isso eu uso capa para os meus edredons. Não gosto de usar aquele lençol (virol). Ou acordo só com ele ou com só com o edredom. 

Eu uso e gosto (e ensino aqui no curso).  A dica é ajustar ao tamanho do seu edredom para que não fique "sambando" lá dentro.   
Fronhas num vapt-vupt. Tenho muitas. Ensino às alunas. Eu gosto de casa, tenho muito prazer em costurar coisas para a minha casa. Sempre tive. Tenho o maior amor e zelo pela minha casinha, pois aqui moram as pessoas que mais amo. E para elas eu quero o melhor, o mais conforto.
A parte de baixo, onde fica em contato com o corpo, uso percal mais macio, 200 fios, 100% algodão. Para a parte de cima pode ser um percal menos macio. Na junção dos tecidos preguei uma renda de algodão. Faço um tipo de virol, onde a parte de abaixo vira para cima, dando esse efeito bonito, de barrado. Fico horas bolando uma maneira mais fácil e prática de fazer algo para ensinar às alunas. 
Sujou a capa, retira e lava. O edredom permanece limpo, sem necessidade de lavar tantas vezes. E ele nem precisa ser bonito. Vai ficar tudo escondido mesmo!
 Uso zíper na parte de baixo.
   

  Não canso de admirar
E não canso de gostar da pessoa que sou! 
Saia para cama box. Como fazer? Prenda com velcro! Fiz um post AQUI ensinando

15 de fevereiro de 2017

Aulas intensivas e uma receita de bolo

Sábado veio a Sandra fazer um intensivo de costuras aqui no ateliê. Conteúdo de um mês de aula em um único dia. Saiu lá de Itabira - cidade natal de Carlos Drummond de Andrade. A manhã estava fria e, provavelmente ainda havia estrelas no céu quando saiu de casa.

Levantei um pouco mais cedo. Fui lá na cozinha preparar um bolo para a hora do café.  A receita está no final do post. Preocupo-me com quem vem de longe, com quem faz aulas dobradas. Sempre ofereço um café, um bolo, um pão. Não custa nada um carinho. 

Ela é uma pessoa super esforçada e já esteve aqui outras vezes, pois diz que vale o sacrifício viajar para fazer aulas comigo. Tudo o que aprendeu aqui fez com excelência e já tem sua clientela, que cresce a cada dia, a cada esforço dela - somente dela!
Caprichosa, detalhista. Fotografa as peças que costurou. Fica encantada com as cores, com as flores...
Monto a mesa com flores para inspira-la a fazer o mesmo para suas clientes, para sua família...
Conforme ela ia costurando ia arrumando as peças. Ela para de costurar, fotografa, faz um comentário, diz que a renda era para um vestido. Resolveu fazer capas de sousplast. Ficou bonito!
Passamos o dia costurando. Só paramos para o café da manhã e para o almoço. À tarde ela não quis bolo, nem café... Queria costurar. A Sandra adora costurar. Foi embora cansada, mas feliz.

Fui para o banho cantarolando tra-la-la naquele sábado que o sol não quis aparecer.

Aqui deixo a receita do bolo para não esquecer:
A receita original pede-se uma laranja com a casca, mas eu prefiro descascar - fica mais suave. A casca tende a deixar um gosto meio amargo. Ah, de amarga basta a vida. A minha não, graças a Deus, pois procuro tornar a minha vida doce e fofa, como esse bolo!

Ingredientes -  Uso como medida um copo americano (até a marca da borda) ou uma xícara de chá.
3 ovos
Uma medida de óleo
Duas medidas de açúcar
1 laranja descascada e sem caroço em pedaços
2 medidas de farinha de trigo peneiradas
1 colher (sopa) de pó royal

Aqueça o forno médio. Separe a farinha de trigo peneirada junto com o pó royal numa vasilha. À parte bata os outros ingredientes no liquidificador e despeje na farinha, misture tudo muito bem (não precisa usar batedeira).  Cloque na forma e leve ao forno (uns 25 minutos - depende do forno).



8 de fevereiro de 2017

Costurando a vida

Estamos vivendo num mundo onde expressar qualquer sentimento, falar qualquer palavra é considerado ofensa, onde apenas o politicamente correto é aceito. Sinto um quê de hipocrisia. 

Hoje deixo apenas imagens que traduzem momentos felizes... Sem desabafos, sem textos longos, embora aqui é o meu espaço, onde mostro meu trabalho, expresso meus sentimentos. Aqui é a minha casa.

Detalhes da mesa que arrumei para tomar café com pessoas queridas
 Crescendo a produção de novos projetos

Manhãs que acordo inspirada, querendo colorir o mundo

Surpreendendo pessoas com pequenos agrados, tornando o seu dia mais feliz.
Mais produtivas


Mais encantadas
 Mais gratas

 



 Mimando pessoas com pequenos gestos
 Iluminando uma noite que tinha tudo para ser sem graça e triste
 Encantada com gestos de amor
 Retribuindo o amor

 Ensinando sempre...
 Inspirando pessoas ao por a mesa, mesmo que seja com pratos de vidro, no microondas
 Enaltecendo o gesto da filha que fez um jantarzinho
 Deixando a mesa de refeições mais convidativa para a Páscoa
Caixa feita pela aluna que veio aqui aprender

Vamos costurar a vida juntas?